Total de visualizações de página

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Luz da Caridade

 

“A caridade governa os destinos nos rumos de Deus” - Joanna de Ângelis

A beneficência atende à dor, e a caridade triunfa, dominando o cenário que se lhe submete; a piedade fraternal sensibiliza, e a caridade esparge esperança, dilatando as perspectivas de felicidade; a solidariedade emoldura as almas, e a caridade penetra o coração como um bálsamo refrescante e curador; a indulgência dulcifica o ser, e a caridade constitui a alma dos sentimentos que despertam para as aspirações relevantes da vida.
O amor reina, e é a caridade que governa os destinos nos rumos de Deus.
Em todo tempo e lugar: caridade – expressão que canta todas as melodias e narra as mais dúlcidas canções. Caridade para todos os momentos e sem cessar!
Quando a caridade se espraia, modificam-se os painéis humanos e o amor se borda de sorrisos, expressando o poema da gratidão.
A caridade não pode ser dimensionada, porque é o “hálito de Deus” vivificando as criaturas nas altas expressões da evolução moral do ser.
Nunca será demais referirmo-nos à caridade. O gesto em flor de ternura, a gota do sentimento nobre, a palavra em música de compreensão, o pão em bênção alimentícia, o poema do perdão são orvalho da caridade – estrela de primeira grandeza na escumilha da noite do coração...
Caridade é vida para quem a recebe e para quem a doa. Sempre grandiosa, é maior, no entanto, para quem a esparge, porquanto clarifica primeiramente quem a conduz em festa.
Não haverá sido o amor de Nosso Pai, que nos enviou Jesus Cristo para ser o Sol de nossas vidas em nome da caridade da Sua excelsa misericórdia?
Caridade, caridade – alma do bem em mensagem de redenção!
1 - FRANCO, Divaldo. Rumos libertadores. 5. Ed. LEAL, 2008, cap. 35, p.p. 143-144.
Autor: Rogério Coelho
Jornal “O Espírita Fluminense
Instituto Espírita Bezerra de Menezes – IEBM – Niterói – RJ
Setembro / Outubro 2011