Total de visualizações de página

quinta-feira, 9 de junho de 2011

O MEDIUM
    Ser dotado de faculdade que o permite interagir entre os ambientes espirituais e materiais possibilitando agir como intermediário entre as comunicações.
    Quando apresenta-se marcante e forte diz-se que o médium é ostensivo. Quando sutil e rudimentar, de fenômenos esparços e esporádicos de pouca intensidade, diz-se que o médium tem mediunidade oculta. Este último tipo corresponde a todos os homens.
    O primeiro tipo refere-se aquelas pessoas que têm a capacidade de utilizar a mediunidade para trabalhar em mesas mediúnicas e utilizar seu potencial para ajudar e beneficiar a todos os que necessitem.
FENÔMENOS MEDIUNICOS – INTELIGENTES
    • Classificação Básica
    • Os fenômenos mediúnicos são marcantes quanto ao efeito que produzem. Podem ser classificados em categorias de acordo com o tipo de efeito (resultado) provocado pelo fenômeno. De modo geral, duas são as categorias quanto ao efeito: Efeitos Inteligentes e Efeitos Físicos
      • Efeitos Inteligentes
      • Os fenômenos de Efeitos Inteligentes são aqueles que têm sua atuação diretamente sobre o intelecto do médium ou são percebidos pelo cérebro por vias das sensações. Os efeitos são sentidos pelo médium.
        Por esta razão também são classificados em: Intelectuais e Sensitivos, conforme a ação do efeito.
        • Intelectuais
      • Intuição
      • Psicofonia
      • Psicografia
      • Desdobramento
        • Sensitivos
  • Vidência
  • Audiência
  • Sensitividade
Os fenômenos classificados como de Efeitos Físicos são aqueles cujas ações são dirigidas para o ambiente material ou as coisas materiais. Os efeitos dessa mediunidade são percebidos por qualquer pessoa que os possa presenciar. Podem ser efetivadas por movimento de objetos, pancadas, sons, materializações, curas e etc.
Exemplos:
    • Sons
    • Luzes
    • Odores
    • Movimentos de objetos
    • Curas
    • Materializações
    • Transfigurações
    • Psicofonia
    • A psicofonia está presente na grande maioria dos médiuns sendo identificada em 80% dos casos.
      Informalmente é denominada de Mediunidade de "Incorporação".
      - Essa denominação foi adotada devido à impressão provocada pelo comportamento dos médiuns quando em transe mediúnico de psicofonia.
      - Como muitas vezes o Espírito comunicante assume sua personalidade por fala e gestos, se tem a impressão que o Espírito comunicante "entrou" no corpo do médium e, por isso, surgiu naturalmente o termo incorporação.
      Sua ocorrência se dá através da exteriorização do perispírito do médium. Permite que o Espírito comunicante tenha acesso(via perispírito) aos centros nervosos de controle de algumas funções orgânicas do médium, tais como: a fala, o movimento de membros e outros mecanismos motores do corpo. Conforme o grau de exteriorização do perispírito, ocorrerá o maior ou menor controle dos centros nervosos do corpo do médium.
      • Graus
        • Consciente
        • - Ocorre em 50% dos casos - Médium tem consciência do que será dito antes de falar - Após o transe, o médium recorda tudo o que disse - Há fraca exteriorização do perispírito
        • Semi-consciente
        • - Ocorre em 28% dos casos - Médium tem consciência do que será dito durante a fala - Após o transe, o médium recorda parte do que disse - Há exteriorização parcial do perispírito
        • Inconsciente
      - Ocorre em 2% dos casos - Médium não tem consciência do que ocorre - Após o transe, o médium raramente recorda de algo que disse ou fez - Há grande exteriorização do perispírito - O Espírito Comunicante atua diretamente sobre os centros nervosos de controle do corpo do médium
    • Psicografia
    • Mediunidade na qual os Espíritos Comunicantes atuam sobre os médiuns levando-os a escrever. Estes médiuns também são denominados de Médiuns Escreventes
      É um fenômeno importante porque as mensagens ficam permanentes e escritas originalmente como foram transmitidas. No caso da Psicofonia, a recuperação das mensagens dependerá da memória e da interpretação daqueles que escutaram a mensagem falada pelo Espírito. Já na Psicografia, o Espírito escreve a sua mensagem deixando-a na forma original como foi concebida.
      Classifica-se quanto ao modo de execução em:
      • Mecânica
      • - Tipo muito raro - O Espírito Comunicante atua diretamente sobre a mão do médium - Muito rápida e mantém a forma e a caligrafia personalizadas - Médium não sabe o que se escreve, somente após ler o que está escrito é que toma conhecimento do teor da mensagem
      • Semi-mecânica
      • - Mais comum - Espírito comunicante tem domínio parcial do braço e mão do médium - Médium tem consciência do que escreve a medida que as palavras vão sendo escritas
      • Intuitiva
      - Tipo de mediunidade escrevente muito comum - O Espírito interage com a alma do médium transmitindo mentalmente as suas idéias - O médium capta as idéias e serve como um intérprete - Tem conhecimento do que será transmitido antes de escrever
    • Vidência e Clarividência
      • Vidência
      • Refere-se a mediunidade que possibilita a visualização das coisas e ambientes do mundo espiritual. O méduim vidente vê os Espíritos, os ambientes e, às vezes, cenas de momentos futuros ou passados.
        A visão se dá através do Espírito e não com os olhos, daí a compreensão do fato que os videntes "enxergam" o mundo espiritual mesmo com os olhos fechados.
      • Clarividência
      Capacidade Anímica(não é mediunidade) que permite enxergar coisas, cenas, pessoas e etc, do mundo material que estão distantes ou através de objetos opacos. Essa visão abrange cenas e objetos que os olhos físicos não podem alcançar.
      É uma faculdade do próprio Espírito encarnado (Anímica) que não depende de influência mediúnica. Ocorre pela emancipação da alma (desdobramento ou expansão do perispírito encarnado).
      É também denomindao de "segunda visão".
    • Audiência e Clariaudiência
      • Audiência
      • Faculdade que permite ao médium escutar no campo fluídico os sons produzidos no ambiente espiritual.
        • Interna
        • O Espírito transmite ao médium por telepatia. Tem-se a impressão de estar escutando "dentro do cérebro".
        • Externa
        O Espírito atua sobre a atmosfera fluídica produzindo o efeito de som que será percebido pelo aparelho auditivo do méduim.
      • Clariaudiência
      Faculdade anímica (não é mediunidade) que possibilita ouvir sons materiais que ocorrem fora do alcance da audição biológica.
      Pode-se escutar a grandes distâncias ou através de obstáculos.
      É uma capacidade do espírito encarnado (Anímica). Ocorre pela emancipação da alma alcançando até aonde o campo fluídico do perispírito encarnado possa atingir.
    • Sensitividade
Faculdade mediúnica da parcepção do nível vibratório do campo fluídico.
Através dessa faculdade o médiun "sente" o tipo de vibração existente em um ambiente ou presente em pessoas ou coisas.
A sensibilidade do médium ultrapassa a capacidade física e passa a perceber também o campo fluídico do ambiente e interpretar as sensações classificando-as.