Total de visualizações de página

sexta-feira, 26 de março de 2010

REFLEXÃO

O homem poderia sempre vencer suas más tendências pelos seus esforços? (LIVRO DOS ESPÍRITOS)




– Sim, e algumas vezes com pouco esforço; é a vontade que lhe falta. Como são poucos dentre vós os que se esforçam!



......................





Os espíritos protetores nos ajudam com os seus conselhos, através da voz da consciência, que fazem falar em nosso íntimo; mas como nem sempre lhes damos a necessária importância, oferecem-nos outros mais diretos,

servindo-se das pessoas que nos cercam.



Allan Kardec

.............



Nem acusação, nem lamentos.

Trabalhemos sempre com mais ardor, esquecendo o mal e fazendo o bem.



Emmanuel (espírito) / psicografia de Chico Xavier

.....................

...as nuvens aparecem no céu, mas não obscurecem o sol.
Suportemos as dificuldades e as provações do caminho; agüentemos as rajadas de sombra que nos experimentam a confiança e sigamos à frente, sabendo que as mãos de Jesus amparam as nossas.



Bezerra de Menezes (espírito) / psicografia de Chico Xavier

.........................................

Após a emoção do encontro com a Doutrina Espírita, agora, quando os deveres constituem norma de comportamento diário, na tua vida, observas, algo desencantado, a necessidade da contínua renovação de forças, a fim de não desfaleceres.

Supunhas, inicialmente, que logo seriam resolvidos todos os problemas. todavia, ei-los que retornam afligentes, complexos.
Dispões, porém, de recursos valiosos que não podes desconsiderar e graças aos quais não desfalecerás.



Reflete:



Quem tem fé, não se abate ante noite escura
Quem confia, não se desespera na convulsão.
Quem ama, não se debate na desconfiança.
Quem crê, não se tortura na incerteza.
Quem espera, não se atira nos braços da aflição.
Quem serve, não se agasta com a ingratidão.
Quem é gentil, não aguarda entendimento.
Quem é puro, não se revolta com as calúnias.
Quem perdoa, não pára na caminhada a fim de recolher excusas.
Quem se renova no Cristo, não retorna à prisão do erro.
Se tens fé, persevera.
Haja o que houver, prossegue impertérrito, mente dirigida ao Senhor e mãos no trabalho edificante.

Não olhes para trás, nem te confies à depressão.


Este é o teu momento divino de avançar. Não o malbarates inutilmente.


A claridade da Crença que ora te aponta seguro roteiro, far-se-á tua lâmpada de alegria onde estejas, com quem te encontres, como te sintas.

E quando a noite do túmulo se abater sobre o teu corpo cansado, desde agora, aguardar com júbilo e por cuja razão deves insistir e perseverar.






Joanna de Ângelis (espírito) / psicografia de Divaldo Franco