Total de visualizações de página

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Pensamentos



O que é uma 'forma pensamento'?
 
  
“A faculdade humana da imaginação traz a capacidade de criar imagens no plano astral. Essas ‘formas mentais’ não são passivas, ao contrário, agem ativamente em torno de seu criador.
Nosso espírito vive onde se lhe situe o pensamento. Indiscutivelmente, caminhamos ao influxo de nossas próprias criações, tanto no campo mental quanto na esfera da experiência física.
Pensamentos, idéias, conceitos e auto-avaliações, positivos ou negativos, são elementos dinâmicos de indução e influenciam nosso halo mental, formando ‘realidades energéticas’ ou formas-pensamentos’. Através do princípio da repercussão, exteriorizamos essas formas-pensamento, que na realidade, não ficam sepultadas no inconsciente, mas se encontram na borda de nossa aura espiritual.
 
 
Somos naturalmente subjugados ou beneficiados pelas nossas próprias criações, segundo as correntes mentais que projetamos.
As imagens criadas ficam algumas horas, ou durante anos, na atmosfera das criaturas ou no ambiente em que foram geradas. Em condições especiais subsistem ainda mesmo quando a pessoa desencarna.
As formas-pensamentos positivas, são aquelas que edificamos e alimentamos com informações e ensinamentos úteis e saudáveis para a nossa evolução espiritual. São estruturas luminosas, de configurações etéreas, com natureza diferenciada e características próprias.
Além de sutilizarem a aura com pesos específicos tênues e qualidades magnéticas aprimoradas, acham-se presentes nas mãos dos curadores, emanam do semblante dos que olham com amor, exalam do sorriso dos indivíduos sinceros e do peito das criaturas carismáticas. Ainda encontramos essas estruturas luminosas nos lugares onde as pessoas oram e meditam, os quais ficam impregnados de um clima de tranquilidade, paz e harmonia.
 
 
Já os indivíduos de sentimentos e pensamentos doentios podem plasmar ‘estruturas de disformes feições’, que os acompanham aos lugares onde vão.
O orgulho, a submissão, a mágoa, o medo, a culpa, a rigidez e outros tantos desajustes íntimos produzem ‘estruturas amebóides’, animadas de intensa atividade, que ganham energia por intermédio de nossas emoções, pensamentos e convicções costumeiras. Giram em redor do seu criador, estando sempre prontas para o ‘fecundar’, toda vez que ele estiver em condições receptivas ou passivas. Assemelham-se a verdadeiros discursos mentais persuasivos.
Essas estruturas são consideradas fragmentos de nossa personalidade. São como satélites que gravitam em torno de nós. Induzem-nos a uma reimpressão mental, através das idéias e crenças autodestrutivas que nós mesmos geramos. Muitos descrevem como ‘diálogos mentais exaustivos e constantes’, que lhes consomem a energia íntima. A hiperatividade mental é intensa, podendo levar as criaturas a ações quase inconscientes, por meio de ‘monoidéias’ que geram argumentos e contra-argumentos, que agem, explicam, reagem, como se fossem espécimes vivos, dos quais, essas pessoas não conseguem se desvencilhar.
 
 
Essas estruturas parasitárias, que não possuem vida própria, vivem
à custa da carga de nossas crenças ou de nossa energia mental e/ou emocional de que elas são constituídas.
Se nós criamos e convivemos internamente com essas estruturas psíquicas, podemos reforçá-las ou eliminá-las, mudando o nosso jeito de pensar e agir.
Saber diferenciar a ação dos amigos espirituais da ação das formas-pensamentos, é um trabalho de discernimento mediúnico.”
DO LIVRO : A Imensidão dos Sentidos – Francisco do Espírito Santo Neto – ditado por Hammed.
 
Paz profunda!