Total de visualizações de página

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

03 de outubro de 1804


Foi em meio a esse clima de mudanças e de reconstrução
de um novo mundo, onde vingava, por toda parte,
o perfume primaveril do romantismo, que nasce, a 03 de outubro
de 1804, em plena era napoleônica, na cidade de Lyon,
Hippolite Léon Denizard Rivail, que mais tarde adotaria
o pseudônimo Allan Kardec. Ele era filho de um juiz,
Jean Baptiste-Antoine Rivail, e sua mãe chamava-se
Jeanne Duhamel.
O bom senso reencarnado...
O bom senso reencarnado...
Na copa da árvore Européia em 1804
No seio do Iluminismo em pleno século 19
Jesus então a montanha remove
E uma pérola de luz imortal e definitiva
Surge nos berços do mundo numa poesia de três versos
O Espiritismo, a doutrina do Cristo então rediviva
Outubro dia 03
Um apóstolo ressurge outra vez
Pra renovar o entendimento humano!
Ás sombras do clero vigente e já enfraquecido
O pensamento livre se insinua em meio as buscas
Como se fora um passeio de tocandiras a espantar insetos
Crendices, lendas, mitos e folclores
Ensaiam decolagem para o ostracismo
O Espiritismo traz novos acordes ao som da luz!
Preposto imediato do insigne Mestre da Luz e do Amor
Kardec, então Denizard Rivail se aninha na escola de Pestalozzi
Alma saudável e cérebro resoluto
Põe de luto as sombras religião
Seguindo a cartilha diamante do Novo Testamento
Assenhoria-se de seus versos libertários
Traçando os caminhos da renovação do pensar
Também da Ciência, assim como da Filosofia!
E como todo ser destemido, espírito preparado
Decidido, em doze anos a Doutrina codifica
E ainda ensaiou a luz em muitos quadrantes
Na páginas de estudos psicológicos da Revista Espírita
Saiu pelos quintais da Europa renovando a Boa Nova
Encontrou resistências e adversários
A quem nunca temeu, se quer desafiou
Mas, apagou do entendimento filosófico a nebulosa!
Hoje, 151 anos humanos depois de sua estadia
Neste mundo de expiações e provas
O Espírito da Verdade endossa-lhe o pensar
“Espíritas , amai-vos, eis o primeiro mandamento”
“Espíritas, instruí-vos, eis o segundo”
Pérola de luz de raríssimo valor é o Espiritismo
Incrustado nas paredes de nossa consciência histórica
Nos fundamentos das Leis divinas e naturais
Pede que o aluno siga os passos do mestre
Ao seio do amor nos braços da liberdade!
Dois centenários ponto quatro
O desacato da sombra tem mesmo é que se apagar
De carbono a diamante, o espírito ainda errante
Muito tem ainda que caminhar e fazer, saber e construir
Celebrar a presença do mestre Kardec
Agradecer a Deus sua luz e coragem
Fazer dos seus ideais a mais rica das viagens!
A viagem da luz que liberta
A viagem do amor que redime
A viagem da evolução
Sob os cuidados de sua fraterna instrução!
03 de outubro de 1804
Hippolite Léon Denizard Rivail, que Deus o abençoe sempre na forma de luz que tu mereces…
Ademário da Silva