Total de visualizações de página

domingo, 12 de agosto de 2012

O medium

Se todo médium se dispusesse a seguir, com inflexível rigor, o rumo certo, tomando como exemplo a vida limpa de Francisco Cândido Xavier, o trabalho mediúnico seria de tal modo enriquecido que belas revelações viriam juntar-se às que já nos chegam através do devotado irmão de Pedro Leopoldo e de outros médiuns sinceramente dedicados ao Espiritismo. A humildade é a primeira qualidade do espírita, principalmente do médium. A pontualidade no cumprimento de seus deveres, assim como a elevação do espírito a climas morais progressivamente mais altos, são pontos de indiscutível vantagem para o aprimoramento de sua personalidade mediúnica. O médium que estuda e vai para o campo de serviço com a mente adequadamente esclarecida, terá maior franquia espiritual do que aquele que se mostra indiferente ao estudo e desassizado. Entre um lavrador que não procura adaptar-se às necessidades de sua época, utilizando meios mais práticos e inteligentes de trabalho, e outro que busca estudar o problema da fertilização da terra, da adubagem conveniente a cada natureza de plantação, recorrendo também aos processos científicos de lavrar o terreno, não há dúvida de que este último obterá resultados muito mais vantajosos, não só porque os processos por ele empregados são mais seguros e econômicos, como porque lhe será possível fazer cálculos de produção mais amplos e garantidos do que os do lavrador apegado a princípios empíricos. O médium estudioso e fiel observador da Doutrina é um lavrador progressista. Quer ir para a frente, desenvolvendo sua capacidade produtiva. O outro, mais lento, menos senhor de si, porque não se liberta dos hábitos adquiridos, poderá ter safras satisfatórias, mas estará mais sujeito a desastres, por não saber como defender-se da intempérie, das pragas, etc.