Total de visualizações de página

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Deficiência: Irritabilidade Antideficiência: Temperança


Esta deficiência violenta o caráter, ocasionando abatimento no ânimo de quem a padece. Esconde-se às vezes por detrás de uma modalidade aparentemente calma, e também sob a aparência jovial do indivíduo.
Tem origem numa alteração psíquica e nervosa ocasionada por conflitos internos com os quais muito têm a ver o sentir e o pensar. Revela um estado quase permanente de desgosto e dá lugar a manifestações contraditórias do ânimo. A um instante de otimismo se segue bruscamente outro de pessimismo; a um de prazer, outro de azedume; e assim sucessiva e inevitavelmente. No fundo, oculta-se um descontentamento que aflora à superfície por qualquer circunstância propícia. É um misto de amargura e violência, uma alergia mental que provoca frequentes crises no ânimo. Daí que o irritável reaja, geralmente, por motivos mais aparentes que reais.
 
A irritabilidade é um fator de perturbação psíquica e moral que atraiçoa constantemente o próprio sentir
Produzido o descontrole mental, o ser se torna presa fácil da violência, a qual, mesmo quando temperada pela boa educação, manifesta a desafinação na conduta e, por conseguinte, o desconcerto no semelhante.
Esta deficiência se acentua quase sempre por indução de outras formas negativas de sentir, como a inveja, por exemplo, que costuma oferecer múltiplos motivos para a reação violenta do ânimo, trate-se do êxito de fulano, da facilidade com que beltrano solucionou seus problemas, ou de qualquer outro motivo que comova a pessoa em sua pretensão de triunfadora única.
A ação destruidora e deprimente desta deficiência será contida pela temperança, sedativo psicológico que modera as rudezas do temperamento até a sua total extinção.
Em sendo a temperança uma virtude conatural, seu possuidor a traz consigo como sinal de seu avanço na grande experiência evolutiva.
Quando se trata de adquiri-la para opô-la a uma deficiência como a irritabilidade, é necessário o maior e mais persistente esforço, até alcançar a satisfação do propósito. O simples intento de consegui-lo debilita em certo grau a deficiência, ainda que isso seja apenas o primeiro passo. Será preciso fazer muito mais; será preciso experimentar a fundo as delícias proporcionadas pelo prazer de domar uma característica tão pouco favorável, e que põe em guarda a todos aqueles que convivem com quem revelou ser sua vítima. 
Trechos extraídos do livro Deficiências e Propensões do Ser Humano, p. 70